As duas condições para nossa vida!

 

1ª CONDIÇÃO:   Escada da Vida = Exaltação Pessoal

2ª CONDIÇÃO:  Poço da Vida = Humilhação Pessoal

— Para falarmos sobre estas duas condições que influenciam a nossa vida, vamos meditar no livro de Apocalipse 3:14 ao 17.

14  E ao anjo da igreja que está em Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus:

15  Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente!

16  Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca.

17  Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu;

Laodicéia era uma das cidades mais ricas da Ásia menor; localizada na confluência de três estradas importantes; Ponto de parada dos viajantes que passavam em direção a outras cidades circunvizinhas, por isso era um lugar onde todo o povo encontrava-se em uma posição social bem elevada, e por isso foram se esfriando na presença do Senhor, chegando a ponto de dizer que não tinham falta de nada, pois eram ricos, mas na realidade aquilo que lhes abundava em bens materiais, lhes faltava em espiritual; razão pela qual o Senhor, nos versículos 15 ao 17, afirma que gostaria que fossem quentes ou frios; porque aquele que é frio está ao lado do inimigo, mas tem chance de se achegar para o lado do Senhor; o quente já está ao lado do Senhor e cumpre os seus mandamentos; mas naquela situação o Senhor os descreve como mornos, ou seja, estão tentando agradar aos dois lados, quando Mateus 6:24 nos diz que não podemos agradar a dois senhores:

Muitas vezes nós nos deixamos levar por certas circunstâncias, e diante de grandes ofertas que nos são feitas começamos a dividir a nossa vida, que antes era dedicada ao Senhor, com outros deuses e assim, pouco a pouco o nosso tempo vai sendo tomado fazendo com que nós venhamos a nos afastar por definitivo do Senhor.

A Palavra nos diz em Jeremias 48:10 “ Maldito aquele que faz a obra do Senhor relaxadamente”. E o que é fazer a obra relaxadamente? É estar na casa do Senhor e viver como qualquer um do mundo, não servindo como testemunho para aqueles que não conhecem a palavra de Deus; É não ser luz no meio das trevas e nem sal para sarar esta terra podre em que vivemos: chamada “mundo”!

MARCOS 3:36 nos diz: “Que aproveita o homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua  Alma?” 

Passaremos a analisar, agora, as duas condições que podem levar o homem a afastar-se ou aproximar-se de Deus.

Na primeira condição temos o que resolvi chamar de “Escada da vida” ou “EXALTAÇÃO PESSOAL”!

1º – Ganância;

2º – Soberba, orgulho;

3º – Acepção;

4º – Começa a dar brechas;

5º – Começa afastar-se de Deus;

6º – Afasta-se definitivamente de Deus; e

7º – Entrega-se nas mãos de satanás.

 Analisemos aquele homem comum, pacato que crê em Deus, mas não quer saber de nada: Nem espiritual, nem material; está tranqüilo e vivendo uma vida simples, sem reclamar.

De repente este homem simples se vê tentado por alguém que lhe faz uma proposta fantástica, lhe dizendo que aquela vida que ele leva não é uma vida digna de um ser humano e que ele deve tentar algo para começar a ter lucros  e ter condições de dar uma vida melhor para a família; e tanto fala, que aquele homem cede às pressões dessa pessoa, e assim começa a sua escalada em busca da exaltação pessoal. Agora este homem vai começar a galgar os degraus da escada da vida, até se esquecer de vez do Senhor.

O homem quando começa fazer algo que lhe dá algum lucro, também começa a ganância  por conseguir cada vez mais; e assim ele passa a dedicar parte do seu tempo para correr atrás daquilo que ele agora almeja alcançar.

Pode-se comparar às pessoas viciadas em bingos; Começam por um convite ou curiosidade de conhecer como funciona, então ele entra e faz o seu primeiro jogo: Geralmente ganha! Porque o inimigo prepara o caminho para que ele possa começar a sentir vontade de permanecer.

A partir do momento que ele ganha a primeira vez; pronto, aí vem a segunda jogada, a terceira; uma hora ele ganha, outra perde, mas agora só consegue pensar no lucro em ganhar, e ganhar, porque agora a ganância tomou conta do seu coração atingindo o primeiro degrau da escada da vida.

Mateus 6:36 diz: Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e as outras coisas lhe serão acrescentadas.  A Palavra de Deus é bem clara! Não precisamos correr atrás de nada, apenas devemos fazer a nossa parte que as demais é por conta Dele.

Esse mesmo homem que era uma pessoa simples, humilde, agora ganancioso, a partir do momento que atinge uma certa posição social passa ser soberbo, orgulhoso; Este é o segundo degrau da escada da vida, e que é condenado pelo Senhor, pois a pessoa orgulhosa passa a endeusar-se a si mesmo achando-se melhor que as outras pessoas; só ela é competente; todos os demais são incompetentes por não compactuarem com a sua maneira de agir, e assim ele passa a olhar os demais de uma outra maneira.

Mas não para aí a escalada! Vem aí o 3º degrau: a acepção das pessoas, coisa que o próprio Cristo nos ensinou que não devemos fazê-la, porque diante do nosso Pai somos todos iguais; não tem pobre ou rico; branco ou negro; nenhuma raça é privilegiada, porque o Pai nos ama com a mesma intensidade. Portanto aquele que comete tal ato entristece a Deus.

Mas este homem agora já escolhe as pessoas que podem fazer parte do seu rol de amizades. Aquele que no passado era seu melhor amigo, agora se for visto com ele as suas amizades atuais o que irão pensar? Ele agora se preocupa com a sua posição social e esqueceu a vida que viveu no passado e até aqueles amigos fiéis que cresceram com ele desde criança. Agora ele é importante; tem uma posição social a zelar.

Assim esta atitude tomada por este homem já o colocou em um outro degrau, ou seja o 4º degrau desta escada; afastou-se de Deus e já está quase a ponto de esquecê-lo de vez. Sabe que Deus existe, mas seus afazeres, já não o deixa mais se preocupar com tal condição, apenas se lembra vagamente do Altíssimo e está prestes a afastar-se definitivamente de sua presença.

Assim aquele homem passa para o 5º degrau: começa a dar brechas para satanás usar a sua vida. Aquele homem pacato, hoje está tão mudado, porque nesta altura de sua vida, Deus já está sendo deixado para último plano; Ele não tem tempo; é muito ocupado, e dentro das brechas que ele dá satanás acaba usando sua vida para destruir outras vidas; para enganar e trapacear, tudo em nome de uma posição social que na realidade nenhum valor tem diante de Deus. Posição que quando ele morrer de nada vai lhe servir; O destino é o mesmo: Para o corpo a sepultura e a alma como fica? Para onde vai, após o corpo descer à sepultura? Só temos dois destinos: O céu ou o inferno! Vida eterna com Cristo ou sofrimento eterno com satanás. Por isso precisamos pensar bem antes de fazermos qualquer coisa e assim pedir a direção de Deus para que não venhamos levantar a ira do Senhor.

E são tantas as brechas dadas que este homem afasta-se definitivamente do Senhor, o 6º degrau; e aí está lançado nas mãos de satanás para fazer pacto para não perder aquilo que ganhou até aquela data. Neste ponto ele está tão gelado que se não acordar fará parte da geração que não herdará o céu.

Esta é a situação do homem que passa a buscar a sua própria exaltação pessoal esquecendo que Deus exalta aquele que se humilha e humilha aquele que se exalta por conta própria.

Agora vamos analisar a 2ª situação, ou aquela que resolvi chamar de “Poço da vida”:

A Humilhação.

                                                           Homem comum

O mesmo homem comum, pacato, que não quer saber de nada e vive tranqüilo, de repente alguém chega até ele e fala da Palavra do Senhor, e ele a recebe com alegria, mas rejeita fazer uma visita à igreja.

Quando começamos a cavar um poço logo abaixo da primeira camada de terra, caso tenha chovido há poucos dias, ou conforme o lugar, nós encontramos uma camada de lama ou até mesmo um veio d’água, mas que na verdade não passa de água empoçada, água essa que com alguns dias de sol, o calor do solo faz com que se seque; então esse homem do qual estamos tratando podemos classificá-lo como esta água empoçada que se seca facilmente.

Aquele homem ouve a Palavra, gosta de ouvir, mas não tendo uma continuação do aprendizado, por não ir à igreja, aquela semente plantada ou aquela palavra que ele ouviu vai caindo no esquecimento e assim, em poucos dias ele já nem se lembra o que foi ensinado; mas a semente foi plantada e lá mais a frente ele poderá passar para o segundo estágio. A 2ª água

Continuando a cavar o poço, geralmente em certa posição da escavação vamos encontrar a 2ª água, ou seja, uma água que parece ser a água pura, mas ao provarmos vamos ver que precisamos cavar mais um pouco para encontrarmos a água que procuramos, pois aquela água encontrada é barrenta e mesmo depois de assentar aquele barro ela continuará salobra, servindo até para lavar uma roupa ou o quintal, mas nunca vai servir como alimento.

Assim são as pessoas que vão à igreja, mas não querem compromisso com a obra; as outras pessoas olham para ela e até as vêem como servos de Deus, mas jamais vão procurá-las para receber uma orientação, pois são pessoas que não tem um testemunho de vida, nem mostram terem adquirido conhecimentos que as tornem capazes para exercerem um cargo ou um ministério qualquer na casa do Senhor, por isso ninguém as procuram para saciar a sede da Palavra de Deus.

Mas essa pessoa continuando nos caminhos do Senhor, um dia o Senhor poderá despertá-la e usá-la para a sua obra e ele passará a ser como o 3º estágio: A água pura.

Continuamos a cavar o poço e assim encontramos o veio d’água que jorra de maneira especial; é a água pura que serve para todos os fins, ou seja, para saciar a nossa sede, cozinhar os nossos alimentos, para limpar o nosso corpo, enfim, para tudo quanto precisarmos poderemos usá-la.

Esse é o estágio daquelas pessoas que tem compromisso com a obra de Deus; são cheias do Espírito Santo e estão sempre dispostas a fazer a obra do Senhor, em qualquer circunstância, não importa a situação que ela esteja passando, se alguém a procura está sempre pronta para atender.

È o tipo de servo que tem testemunho de vida para dar; mostra responsabilidade e por isso todos o procuram para saciar a sede do espírito quanto ao conhecimento da Palavra, pois enxergam nele um servo fiel e capaz.

Agora vamos meditar! 

Em que estágio nos encontramos?

Será que, ao invés de nos humilharmos na presença de Deus, não estamos buscando a nossa exaltação pessoal e nos afastando do Senhor, gradativamente?

Que nós possamos analisar a vida que temos vivido e caso detectemos alguma situação negativa, que possamos nos consertar, e entregar as nossas vidas e os nossos caminhos nas mãos do Senhor e confiando Nele alcancemos a vitória total que só o Senhor pode nos dar.

 

Que Deus nos abençoe!

 

Presbítero Aparecido Queiroz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *