A distância cruel!

Como é difícil ficar,
Distante de quem se ama.
O coração se arrebenta,
A alma, sem rumo, clama.

É como pegar uma laranja,
E parti-la em dois pedaços.
Retirando todo o suco,
Deixando apenas o bagaço.

Só quem vive estes momentos,
Pode entender os lamentos,
De um homem sofredor.

Que vive sempre correndo,
Com seu coração querendo,
Encontrar seu grande amor.

Aparecido Queiroz

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *