O PESCADOR

Um homem, pai de família, após perder seu emprego, todos os dias pela manhã ia até um pesqueiro próximo de sua casa e ali permanecia até que um dos pescadores lhe desse um peixe para levar para casa, e assim poder ajudar na alimentação de sua família.

Assim foi sua rotina diária por algum tempo.

Certo dia chegou ali um homem diferente, que nunca tinha sido visto naquele lugar; e trazia em suas mãos, além da sua vara principal, uma vara reserva.

Ao ver aquele senhor assentado próximo do local de pesca, foi até aquele pai de família e lhe indagou, o quê fazia ali, se não era um pescador?

Então o pai de família lhe contou toda sua estória, e porque permanecia ali.

O pescador comovido convidou-o para pescar com ele, tendo em vista que tinha aquela vara extra!

Aquele pescador ensinou o pai de família a pescar, e o dia lhe foi tão favorável que pegou muitos peixes, além de aprender uma nova profissão.

Quando o pai de família foi agradecer o seu bem-feitor, ainda teve uma nova surpresa: O pescador o presenteou com aquela vara, com a qual ele aprendeu a pescar.

O pai de família naquele dia voltou para casa muito feliz, levando vários peixes e a vara que recebeu de presente, e nunca mais foi visto, sentado na entrada daquele pesqueiro mendigando um peixe, pois a partir daquele dia passou a ser mais um dos pescadores, freqüentadores daquele local.

E seu bem-feitor?

Assim como foi até aquele dia, nunca mais foi visto por ali!

 

Moral da estória:

 

“Quando encontrar alguém mendigando um pedaço de pão, procure conhecer o porquê, que está naquela situação; e se possível, dê a ele, além do pão, uma ferramenta e o ensinamento de uma nova profissão, para que possa caminhar com os seus próprios pés”.

 

Deus nos abençoe e nos capacite a amar o nosso próximo, como a nós mesmos

 

 

Presbítero Aparecido Queiroz.

3 thoughts on “O PESCADOR

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *